“O engenheiro tem papel fundamental na segurança dos equipamentos hospitalares”, diz Ricardo Maranhão

O “I Seminário de Engenharia Clínica do Centro-Oeste: A engenharia na segurança do paciente” realizado pelo Crea-GO no dia 30 de novembro reuniu em seu auditório profissionais em busca de melhorias na qualidade dos serviços prestados aos pacientes. O presidente do Crea-GO, Engenheiro Francisco Almeida, ressaltou durante a abertura do evento a importância do encontro para o debate sobre a segurança no atendimento de saúde. Ele ressaltou que o art. 1º da Lei 5.194, de 24 de dezembro de 1966, já trata da função social da engenharia. “Quando se contrata um engenheiro, deve-se contratar segurança, qualidade, economia e produtividade. Por isso, decidimos promover este encontro. Explicou.

 

O presidente da Associação de Hospitais Particulares do Estado de Goiás (Ahpaceg), Haikal Yaspers Helou, destacou a iniciativa do Crea-GO de discutir a Engenharia Clínica no Centro-Oeste. “Conversamos com o presidente Francisco e Ricardo Maranhão sobre essa ideia há três anos. Os dois tiveram um grande papel nisso”. Para Haikal, em qualquer hospital do mundo a Engenharia Clínica exerce papel fundamental na inclusão tecnológica das unidades hospitalares”. Já o vice-presidente da Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin), Engenheiro Clínico, Ricardo Maranhão, frisou a necessidade de levar a Engenharia Clínica para o debate. “O engenheiro é essencial na gestão de tecnologia em saúde, o que garante mais qualidade aos equipamentos médicos e consequentemente mais segurança aos pacientes. Essa ação reflete diretamente na excelência dos serviços da saúde”, salientou.

 

Palestras – Cinco palestras e duas mesas redondas fizeram parte da programação do evento. Na primeira palestra, o Engenheiro Mecânico e Clínico Lúcio Flávio de Magalhães Brito tratou sobre “Acidentes no ambiente hospitalar: fontes de risco e mecanismos de ação”. “Cada equipamento médico-assistencial tem um lado bom, mas também um lado obscuro. A partir do momento em que se conhece as fontes de risco e como esses riscos podem gerar um acidente é possível cuidar com mais propriedade do equipamento hospitalar. O advogado José Renato Marchiori abordou a “Análise e compreensão da nova lei 13.589/2018, que trata do PMOC – Plano de Manutenção, Ocorrência e Controle”. O advogado falou sobre a nova forma de tratamentos dos aparelhos de ar-condicionado em locais com concentração de pessoas. “

 

Ricardo Maranhão apresentou um “Case de sucesso na implementação de Engenharia Clínica em Ambiente Hospitalar”. O engenheiro mostrou a experiência da implantação da gestão de tecnologia em saúde nos hospitais particulares de alta complexidade da rede Ahpaceg. “Durante um ano e meio, nós implantamos dentro de 10 hospitais goianos a gestão de tecnologia, atendendo a exigências da Vigilância Municipal e do Crea. O resultado foi um impacto positivo na economia das instituições hospitalares”, pontuou. A segunda palestra foi ministrada pelo líder da Área de Gestão de Convênios de Fiscalização do Crea-GO, Engenheiro Clínico Roger Barcellos. Ele abordou o tema Fiscalização do Sistema Confea/Crea em estabelecimentos assistenciais de saúde e abordou os principais “procedimentos adotados para a fiscalização em unidades de saúde em Goiás e como os agentes fiscais do Crea devem agir durante uma vistoria”. A palestra “Atuação do Engenheiro Clínico no Hospital Israelita Albert Einstein” ministrada pelo Engenheiro Clínico e coordenador de Engenharia Clínica do hospital, Kléber Cardoso, encerrou o ciclo de palestras. “Temos 8 mil hospitais distribuídos no Brasil. Então, quando se leva informação de uma profissão relativamente novo como a engenharia clínica que tem aproximadamente 30 anos no país, esclarecendo como que são as boas práticas e como elas funcionam os grandes centros, isso contribui para melhorar a segurança do paciente e melhorar a vida de todos”,  admitiu. Ricardo Maranhão, Roger Barcellos e Kléber Cardoso encerraram o evento com uma mesa redonda e debate com os participantes.

 

Com informações do Crea-GO

 

Dia Global da Engenharia Clínica

 

No Dia Global da Engenharia Clínica, 21 de outubro, nossa homenagem à equipe da Orbis e a todos os profissionais da área, que trabalham com eficiência para garantir qualidade e segurança nos serviços prestados pelas instituições hospitalares.

Reportagem PUC TV Goiás

Reportagem da Puc TV Goiás divulga parceria da Orbis Engenharia Clínica com a Pontifícia Universidade Católica, para vagas de estágio na área de engenharia clínica. Nosso programa Orbis Opportunity está preparando os estudantes para o mercado de trabalho.

 

 

ORBIS OPPORTUNITY

Nosso programa de estágio Orbis Opportunity abre as portas para estudantes de engenharia (elétrica, civil, mecânica e mecatrônica) em uma das melhores experiências na área de gestão de tecnologia da saúde.

Propomos a participação direta da rotina das unidades hospitalares dentro de todos os processos de atuação da nossa equipe de engenharia clínica.

O estudante é orientado por um engenheiro especialista no período de seis meses a um ano. No fim da experiência é emitido um certificado atestando as atividades realizadas e carga horária cumprida.

É uma vivência que estimula o estudante a sonhar alto em busca de uma vaga no tão concorrido mercado de trabalho.

 

Novembro Azul

Depois do Outubro Rosa, agora é a vez de chamar a atenção para o Novembro Azul, mês internacionalmente dedicado às ações relacionadas ao diagnóstico precoce do câncer de próstata. A Orbis Engenharia Clínica também participa desta iniciativa de reforçar a importância do cuidado com a saúde masculina.

 

Outubro Rosa

Apoiamos o Outubro Rosa e também entramos neste movimento internacional, que visa conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama.  O diagnóstico precoce é essencial para a cura da doença. Cuide-se!

 

Orbis Engenharia Clínica é destaque no Informativo do ​Sindhoesg

A Orbis Engenharia Clínica é destaque no Informativo do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás (Sindhoesg). O diretor geral Ricardo Maranhão concedeu entrevista sobre o papel da engenharia clinica nas instituições hospitalares.