Acreditação e qualificação ONA: o que você precisa saber!

Orbis tem selo inédito de qualificação ONA
Crédito: Renato Maia. Engenheiro clínico, André Gemus.

A Organização Nacional de Acreditação (ONA) é uma organização sem fins lucrativos e não-governamental que atua na elaboração de metodologias com foco na melhoria de processos na prestação de serviço na área da saúde. Seu principal objetivo é avaliar e certificar requisitos que promovam e garantam a qualidade e segurança nas organizações prestadoras de serviços de saúde, desde unidades hospitalares até prestadores de serviços.

Continue lendo

Parceria de sucesso

  A Orbis Engenharia Clínica ganhou destaque na matéria “Estamos Juntos: HDS promove serviços estruturais à comunidade por meio de parcerias” publicada no site da Agir.   A reportagem ressalta a união de esforços para a realização do trabalho na instituição e reforça a importância dos profissionais de empresas parceiras que realizam diversos serviços, entre eles, nosso engenheiro Thiago Cortez, e os técnicos Jerfeson Rodrigo e Wanderson de Deus.   O HDS acredita na união de forças para cumprir o propósito de cuidar de vidas e nós da Orbis também.

Orbis Opportunity: estágio proporciona experiência profissional de alta qualidade

 

Estudante é acompanhado durante todo o estágio por um engenheiro clínico especialista que orienta sua atuação.

 

A Orbis Engenharia Clínica abre as portas para estudantes de engenharia (elétrica, civil, biomédica, mecânica e mecatrônica) em uma das melhores experiências na área de gestão de tecnologia da saúde. Com o Orbis Opportunity, 288 estagiários já adquiriram experiência e puderam sonhar alto em busca de uma vaga no mercado de trabalho. Durante o programa de estágio, estudantes de instituições como SENAI, UNIP, PUC, UNIEVANGÉLICA, UFG, UEG e IFG têm participação direta da rotina das unidades hospitalares dentro de todos os processos que envolvem a atuação da equipe de engenharia clínica.

 

Segundo o diretor executivo da Orbis, Ricardo Maranhão, que também é professor universitário, apoiar estudantes é um meio de fortalecer a engenharia clínica no país. “No estágio, o estudante é acompanhado por um engenheiro clínico especialista que orienta sua atuação pelo período de seis meses a dois anos. No fim da experiência, é emitido um certificado atestando a experiência adquirida e carga horária cumprida”, ressalta.

 

Professor e orientador de estágio na PUC Goiás, Fábio Manoel Sá Simões explica que os alunos do curso de Engenharia da instituição são incentivados a estabelecer contato com o mercado de trabalho durante toda a graduação. O conhecimento do ambiente de trabalho, de hierarquias e procedimentos são pontos essenciais aprendidos durante a experiência e complementam a formação teórica do estudante. “No final do semestre, os estudantes fazem apresentações e falam sobre a empresa. É uma experiência muito boa”, relata o orientador.

 

Fabio Manoel Sá Simões, que também é diretor da Escola de Engenharia da PUC Goiás, conta que sempre busca fazer parcerias com empresas e a Orbis é uma delas. “Nos orgulha muito atender essa demanda  com nossos alunos nesse programa de estágio muito bem organizado”, afirma. “Hoje a empresa é uma das principais parceiras da nossa escola”, acrescenta.

 

Segundo o engenheiro Gerson Rodrigues, o estágio foi uma oportunidade de crescimento profissional. Em 2017, ele ingressou na empresa como estagiário. “Fiquei um ano como estagiário, depois fui para auxiliar, depois auxiliar técnico e no final de 2019 surgiu uma oportunidade de atuar como engenheiro”, relata sobre a trajetória na Orbis.

 

A Pollyana Rodrigues faz parte do atual quadro de estagiários da empresa. Ela cursa Engenharia Civil na PUC Goiás e conheceu a Orbis por meio de outros alunos que eram estagiários na empresa. Segundo a estudante, a gestão hospitalar chamou sua atenção.  “Eu me candidatei à vaga de estágio no programa Orbis Opportunity em novembro de 2019, e desde então vem sendo uma grande oportunidade de aprendizagem. Atualmente faço parte da área de Metrologia”, conta.

 

Para Pollyana, a experiência obtida no estágio proporciona uma visão mais ampla e clara dos conteúdos adquiridos durante o curso. “É mais fácil entender o mercado de trabalho quando se está frente a frente com as situações reais e cotidianas da profissão que exigem uma demonstração do conhecimento adquirido ao longo da graduação”, aponta.

 

A estudante considera que a experiência fará diferença na formação profissional. “O meu estágio tem sido muito importante, tenho desenvolvido cada vez mais habilidades e competências que um profissional precisa ter, especialmente na área da engenharia clínica”, ressalta.

A certificação da Orbis pela ONA e as ações contra a COVID-19 são destaques no Jornal A Redação.

A Redação

 

Goiânia – O ano de 2020 foi desafiador para toda a humanidade, que ainda luta para vencer a pandemia da covid-19. O cenário reforçou o papel do engenheiro clínico como aliado nos serviços de Saúde. Para a Orbis Engenharia Clínica foi um período de trabalho intenso, de apoiar a saúde e criar soluções para novas demandas. Todo esse empenho levou a algumas conquistas importantes. O Selo de Qualificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA) é uma delas. A chancela que, até então, é inédita em empresas de engenharia clínica no Brasil mostra que o compromisso da empresa com a prestação de um serviço de excelência foi alcançado. “Com este certificado, estamos reforçando com os nossos clientes o compromisso diário em sempre oferecer o melhor serviço possível”, afirma Ricardo Maranhão, diretor da Orbis.

 

Para Ricardo Maranhão, neste ano, a engenharia clínica demostrou ainda mais sua importância na atuação na área da Saúde. Em meio à pandemia, a necessidade de ventiladores pulmonares em pleno funcionamento demonstrou a necessidade e a importância do engenheiro clínico dentro do estabelecimento de saúde. “No momento em que o engenheiro é a peça fundamental para que os equipamentos estejam operacionais e seguros para ser utilizado no paciente, o papel da engenharia clínica foi destaque e ganhou reconhecimento”, explica Ricardo Maranhão.

 

Esse reconhecimento veio da sociedade, da área médica e até do Ministério da Saúde, por meio do seu ministro que destacou a importância desse profissional na linha de frente.

 

Outro destaque lembrado pela diretora administrativa da Orbis, Alessandra Maranhão, foi a ação social junto ao Senai. “Ajudamos ativamente a sociedade com a recuperação de ventiladores pulmonares, por meio da Iniciativa + Ventiladores Pulmonares do Senai, que conta também com o apoio da Associação Brasileira de Engenharia Clínica, Ministérios da Saúde e da Economia, UFG, entre outras instituições”, explica. Recentemente o projeto chegou a marca de 100 ventiladores pulmonares recuperados e devolvidos a hospitais em nove municípios só em Goiás.

 

2020 também foi o ano em que Orbis chegou aos cinco anos de criação. Neste período, a empresa tem ajudado a mudar o cenário da engenharia clínica no Brasil, com uma atuação baseada em valores sólidos: organização, resolubidade, brilhantismo, inovação e sabedoria. “Temos orgulho da nossa área de atuação e somos gratos aos nossos clientes, colaboradores e parceiros. São cinco anos de conquistas e muitos motivos para comemorar”, destaca Ricardo Maranhão.

 

Ações 2020
– Gestão de Tecnologia em Saúde em mais de 80 clínicas, laboratórios e hospitais no Brasil
– Atendimento a 10 Hospitais de Campanha em todo o país
– Presença em 8 Estados, mais o Distrito Federal
– Mais de 30 mil equipamentos monitorados
– Participação em 19 auditorias da ONA
– Mais de 57 estagiários passaram pelo Orbis Opportunity – programa de estágio da Orbis
– Única empresa de engenharia clínica no Brasil a ter o Selo de Qualificação ONA
– Voluntária no projeto Iniciativa + Manutenção de Ventiladores do Senai. Mais de 100 equipamentos recuperados.

Fórum + Prêmio Health ARQ – oportunidade de compartilhar conhecimentos

 

📲 Ricardo Maranhão, Diretor executivo da Orbis Engenharia Clínica, é presença confirmada na quinta edição do Fórum+Prêmio HealthARQ. Uma oportunidade para compartilhar conhecimento e reconhecer os players que mais se destacaram da indústria da Arquitetura e Construção da Saúde. Os debates com o temas “Projetando, Construindo e Acolhendo a Saúde” convidam os profissionais da saúde a conhecer os desafios e tendências do setor. Como encerramento, acontece o Prêmio HealthARQ, em que serão divulgados os ganhadores nas categorias Marcas mais lembradas, Cases de Sucesso e Profissionais em Destaque. O evento acontece no dia 7 de dezembro, no Hotel Renaissance, na cidade de São Paulo. Faça já a sua inscrição!

 

👉🏻 Link: https://lnkd.in/dzkbBge

Presidente da Fieg parabeniza Orbis pelo trabalho voluntário com o Senai

 

Recebemos com alegria a mensagem de agradecimento do presidente da Fieg e do Conselho Regional do Senai e Sesi, Sandro Mabel, sobre nossa participação na Iniciativa + Manutenção de Respiradores. Nesta segunda-feira, a ação alcançou a marca de 100 ventiladores pulmonares recuperados em Goiás.

Orbis comemora marca de 100 ventiladores pulmonares recuperados na Iniciativa + Manutenção de Respiradores

No Estado, a ação é liderada pelo Senai Goiás

 

Ao lado do Senai Goiás, a Orbis Engenharia Clínica comemorou nesta segunda-feira (26/10), durante solenidade na Escola Senai Vila Canaã, em Goiânia, a marca de 100 ventiladores pulmonares recuperados e devolvidos a hospitais em nove municípios do Estado por meio da Iniciativa + Manutenção de Respiradores. Coordenada pelo Senai Nacional, a rede de apoio da iniciativa começou a operar no dia 30 de março, no início da pandemia, e já consertou gratuitamente mais de 2 mil ventiladores pulmonares, que foram devolvidos a instituições de saúde em 24 Estados e no Distrito Federal.

 

Ricardo Maranhão, diretor da Orbis e vice-presidente da Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABECLin), destacou a importância da união entre os diversos setores da sociedade para o enfretamento da pandemia. “A Orbis sempre esteve a disposição para ser voluntária para apoiar qualquer movimento que fosse em prol do paciente e da saúde no Estado”, disse. “Começamos o trabalho com rapidez. Disponibilizamos analisadores para que fosse feita a calibração nos equipamentos. Isso é para resgatar a força da engenharia clínica neste momento. Viemos para apoiar sem pensar em custo, mas no valor podemos dar a vida humana”, acrescentou.

 

Presidente da Fieg e do Conselho Regional do Senai e Sesi, Sandro Mabel, agradeceu ao apoio oferecido pela empresa. “Em nenhum momento pensou em custo e ajudou neste trabalho de calibração.”, ressaltou. “Esse momento é importante para comemorar a ação, disposição e atitude de todos os envolvidos. Nesse trabalho ajudamos os goianos a terem uma condição melhor em um momento difícil”, disse.

 

A estimativa é de que cada aparelho recuperado poderá atender até dez pessoas afetadas pelo novo coronavírus. Presente na solenidade, o secretário de Estado da Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, comemorou os resultados da iniciativa “Uma parceria muito exitosa, mostrando que para o enfretamento de questões complexas é a união entre a iniciativa pública, privada e o terceiro setor que faz a coisa acontecer e logra êxito de desafios muito grandes”, disse.

 

O trabalho conta com a atuação e o apoio de mais de 700 voluntários. Em Goiás, o Senai Canaã é um dos 45 pontos de unidades operacionais que estão recebendo esses respiradores para manutenção. Diretor da unidade, Claiton Cândido Vieira agradeceu o empenho da Orbis. “A parceria foi fundamental para fazer a calibração dos aparelhos e colocá-los disponíveis para os hospitais com segurança. Aparelhos que estavam parados, mas que neste momento da pandemia foram fundamentais”, afirmou.

Certificado Selo ONA também vai para as salas de engenharia das unidades de saúde sob a gestão da Orbis

A conquista do Selo de Qualificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA) pela Orbis Engenharia Clínica agora está ainda mais visível aos clientes. No decorrer desta semana, cerca de 40 salas de engenharias que ficam nas unidades hospitalares onde a Orbis presta serviços em sete estados e o Distrito Federal receberam o certificado que atesta a qualificação da empresa. Para as unidades de saúde, o documento se torna um mecanismo para demostrar aos pacientes o compromisso com a segurança de cada um.

 

A chancela é inédita em empresas de engenharia clínica no Brasil. “A notícia da nossa certificação pela ONA foi recebida nas nossas unidades com muita alegria e motivação. É o reconhecimento do nosso trabalho”, relata Pablo Patriota, supervisor de engenharia clínica da Orbis.

 

Responsável pela supervisão de cinco hospitais (Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime, em Pirenópolis, Hospital Municipal Dr. Ednaldo Barboza Machado, em Minaçu, Hospital Municipal Adailton do Amaral, em São Miguel do Araguaia, Policlínica Regional de Posse, em Posse, e Santa Casa de Misericórdia de Anápolis, em Anápolis), Pablo Patriota conta que, ao levar o certificado para as salas de engenharia, “os gestores ficaram felizes em saber que suas unidades possuem um serviço de excelência com certificação ONA”. “Nossos clientes estão vendo que a melhoria dos nossos processos reflete de forma muito positiva nos serviços que prestamos.”, diz.

 

Ricardo Maranhão, diretor da Orbis, lembra que alcançar a qualificação concedida pela ONA serve como um mecanismo de melhoria da empresa. “Nosso trabalho reflete na vida de milhares de pessoas que são atendidas diariamente nas unidades hospitalares que prestamos serviços. Quando levamos os certificados aos nossos clientes, estamos reforçando nosso compromisso diário em sempre oferecer o melhor serviço possível”, afirma.

A engenharia clínica atua para oferecer segurança ao paciente

Manter os equipamentos hospitalares em pleno funcionamento proporciona à equipe médica e demais envolvidos nas rotinas hospitalares melhores condições no atendimento, além de ser essencial para a segurança do paciente. Para que isso aconteça, a engenharia clínica tem o papel fundamental de fazer com que o parque tecnológico dos estabelecimentos de saúde, como clínicas, laboratórios e hospitais, esteja em perfeito funcionamento.

 

A ABEClin (Associação Brasileira de Engenharia Clínica) estima que existam, entre técnicos e engenheiros, cerca de 4 mil profissionais na área de engenharia clínica no país. Embora, seja uma profissão relativamente recente, ela tem sido estratégica nas unidades de saúde. Do mais simples procedimento ao mais complexo tratamento, seja um exame de rotina ou uma cirurgia, o sucesso depende dos aparelhos hospitalares operando de forma adequada.

 

O engenheiro clínico não apenas realiza os serviços de manutenção preventiva, corretiva e calibração, mas efetua também todo o planejamento das atividades envolvendo os aparelhos hospitalares dentro das unidades de saúde, desde à compra ao descarte do equipamento, cumprindo todo o clico de vida da gestão de tecnologia em saúde.

 

Diante da crescente atuação do setor, a ONA lançou o Selo de Qualificação na área de engenharia clínica, o que passa a ser um importante parâmetro para o mercado. São cerca de 800 requisitos para conquistar o selo, que é concedido após uma análise criteriosa da organização.

 

Atualmente, a Orbis Engenharia Clínica é a primeira e única empresa da área a conquistar o selo no país, demonstrando seu compromisso com a gestão dos equipamentos e a segurança do paciente.

Única empresa de engenharia clínica no Brasil com selo ONA

A Orbis Engenharia Clínica acaba de receber o selo de qualificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA), que além de avaliar os critérios de segurança na operacionalização dos processos técnicos, demonstra eficiência da gestão e dos processos de apoio. O reconhecimento de empresas de engenharia clínica é inédito no Brasil. Com isso, a Orbis se torna a primeira e única empresa no país com a qualidade de serviço reconhecida pela organização.

Com foco na melhoria contínua dos processos, a empresa passou por uma rigorosa avaliação do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES), Instituição Acreditadora Credenciada, representada por uma equipe de avaliadores habilitada pela ONA. Eles buscaram evidências de conformidade com os padrões estabelecidos para as diversas áreas da empresa. “O engajamento da equipe com a acreditação foi um dos pontos fortes da empresa”, diz Tatiana Lourenço, avaliadora líder do IBES, sobre a Orbis. De acordo com o Superintendente Técnico da ONA, Dr. Péricles Cruz, a certificação é o reconhecimento de que a instituição atende aos rigorosos padrões que a metodologia exige. “No decorrer da avaliação todas as áreas da instituição são visitadas e mais de 800 requisitos são verificados antes da homologação da acreditação”, explica.

Todos os critérios estão no novo Manual de Certificação de Serviços para a Saúde da ONA, no qual a Orbis serviu como projeto piloto. O documento foi elaborado por um comitê formado por profissionais da área técnica da ONA, especialistas, instituições acreditadoras credenciadas e associações setoriais, dentre elas a Associação Brasileira de Engenharia Clínica (Abeclin).

“Todo o rigor na avaliação exige o compromisso no controle dos nossos processos. Para nós, da Orbis, essa conquista nos motiva a aprimorar cada vez mais nossas ações”, destaca Alessandra Maranhão, diretora administrativa da Orbis.

Alcançar a qualificação concedida pela ONA serve como um mecanismo para medir a qualidade dos serviços prestados pela empresa. O diretor executivo da Orbis, Ricardo Maranhão, considera que estar dentro de todos esses critérios demostra o nível de excelência da empresa. “Isso reflete na vida dos profissionais que trabalham e das pessoas que são atendidas nas unidades de saúde que prestamos serviços. Tanto a equipe médica, pacientes e nossos colaboradores têm, com o selo de qualificação, a certeza que nosso serviço é prestado com qualidade, resolubilidade e segurança”, diz.